Paula Cordeiro

Olha eu sinto muitas vezes que fui uma privilegiada porque eu conheço o antes o durante e o depois e é mesmo um privilégio ter vivo este  processo porque o mundo mudou tão de pdepressa20 está quase 30 anos e hoje olhar para trás e pensar que quando eu comecei a dar aulas no esqueci propus aos meus alunos fazermos avaliação outra vez de criação de um blog ontidos por um blog e alguns levantar o raço e disseram eu não sei fazer um blog E hoje a fazer um blog é só de me ouvir não é presente queremos muitas outras coisas e o que eles mais queriam é vídeo e podcast Olá eu sou tão pouco tempo estou em 2005 nós estamos em 2021 pessoa muito pouco tempo e no entanto passou uma vida porque como vivíamos jogar o soro não é como vivemos hoje e portanto ter percebido o mundo como eu era antes de massificação da internet ter percebido a entrada gradual da internet nas nossas vidas ter conhecido os primeiros telemóveis ter conhecido os primeiros smartphones ter tido um Blackberry que é diferente um conceito diferente do touch ter conhecido o primeiro iPhone e olhar hoje e pensar que estamos tão dependentes smartphones para tudo nosso dia a dia e a 15 20 anos não precisávamos deles para nada é é simplesmente fantástico porque damos um conhecimento da própria vida e da evolução social que de outra forma que a minha filha não vai ter esse conhecimento não é e e mesmo para pessoas mais velhas que tiveram uma transição muito difícil ainda tem os as pessoas mais velhas que tem hoje tenta 80 anos para elas Isto é tudo muito complexo tá na internet nos os põe-se na internet põe essas coisas onde é que as coisas ficam estrelas é confuso e assistir a esta este mudança de mentalidade e assistir esta esta relação entre as crianças e os seus avós E a forma como eles interagem e como falam sobre aquilo que é o digital é muito muito interessante da mesma forma que a falar de transmissão também é divertir vo por que há uma certa Inocência em pensar que estamos numa transição quando na realidade de boa parte da nossa vida já é digital querendo ou não seja para a minha filha que tem 12 seja para o avô quee em 70 80 anos 90 porque independentemente tudo Há muitas coisas que essa vou vai precisar de fazer de forma digital e um exemplo são as recentes do Sinos e o falhanço do contacto com os mais velhos porque não sabem ver SMS e não tem que saber na verdade é óbvio que tu podes ainda viver sem redes sociais mas já começa a ser difícil viver sem pelo menos um telemóvel já não digam Smartphone mas pelo menos um telemóvel já começa a ser complicado novamente Não é possível nada a ver isto é impossível só se torna mais difícil e até corrosivo e muito pela conveniência porque se reparares a maior parte das coisas que nós usamos são extremamente convenientes do Google Maps que nos dias exatamente em que rua estamos ou que caminho devemos fazer para chegar a um determinado local local isso que nós até sabemos onde é nós temos o Google Maps só para ter a certeza que não há trânsito fogo que já aumentei aquele caminho vamos fazer ao serviço de e-mail enfim a uma multiplicidade de ferramentas que passaram a fazer parte da nossa vida porque são convenientes são fáceis de usar e supostamente facilitamos a vida tem um preço a pagar e esse preço é que faz com que muitas pessoas se afastem porque não querem que eles eles fiquem com os nossos dados eles não são os governos eles são cinco empresas norte-americanas as Big five que neste momento domina o mundo por que dominam a tecnologia do Google a Microsoft passando pela Amazon a falando da aula e do Facebook todos eles têm um entraram nas nossas vidas e tornaram dos reféns da tecnologia que produzem e tornaram os reféns dos dispositivos que nos apresentam e o que proporcionam porque na verdade o pensares aí é curioso que a newsletter que eu que eles as sextas-feiras anillo letra hoje fala sobre isso é curioso que a maior parte na maior parte dos casos aqui dois modelos de negócio muito interessantes a 10 redes sociais que não produzem nada efetivamente não produzem mas não a plataforma de anos o palco para que nós possamos produzir e partilhar e portanto modelo de negócio é exatamente esse baseado nessas nessas partidas e um outro que proporciona serviços gratuitos a troca de informação sobre quem somos o que fazemos onde vamos o que compramos com quem interagimos quem a informação sobre tudo aquilo que é no fundo da nossa nossa vida cotidiana e presente as pessoas retraem-se porque sabem que estão entregar muito delas e não querem por outro lado também se retraem porque ainda há uma certa atração felizmente na vida real e na vida todos os dias no cotidiano de ir ao Jardim ouvir a praia e de não levar o telefone para fazer uma selfie para publicar nas redes sociais porque giro porque na maior parte das vezes não estou clicamos porque agir não há uma outra razão e fazemos Porque toda a gente faz então é giro e toda a gente faz então a gente vai atrás e ninguém está a pensar na razão pela qual nós estamos a expor a nossa vida desta forma para o mundo inteiro poder ver nem estamos de quer a pensar que consequências isso pode ter para daqui a cinco anos eu acho que o livro esteve sempre na minha cabeça se queres que te diga porque isto feito este começou de forma muito inocente muito genuína mas muito rapidamente se tornou um objetivo é um objetivo concreto porque eu ainda 2015 quando criei o urbanista criei na sequência de uma necessidade de mudança de vida e de encontrar uma outra forma de viver a vida que eu já tinha de não saber muito bem o que é que poderia fazer encontro a desenvolver alguma coisa com o Paulo me identificasse a 100 porcento Então pensa em um projeto editorial e o objetivo primeiro do urbanista era ser um podcast mas eu quando o que é que eu em março 2015 estava a concluir o meu mandato de provedor do ouvinte e portanto eu ia começar devagarinho mas primeiros meses não ia fazer grande coisa e assim que deixa a ser provedor arrancar os podcasts urbanista Mas a vida trocou umas voltas porque o mês depois de criar o urbanista começou pouco depois eu fui convidado para ser reconduzido no cargo e não se isto não uma coisa destas entre desenvolver organismo ou Continuar com provedor do ouvinte Astro pode dúvida e eu pus o projeto em si também não não bloquear ou seja não não deixei de fazer mas alterar o conceito por cento na minha cabeça não fazia muito sentido a procurar alguém que ter um podcast se calhar em outra para outra E aí para mim não fazia porque é trabalho o áudio e pense eu estava ali para analisar trabalho o áudio depois Estava a fazer o meu fora do meu cargo aquilo para mim não fez muito sentido então não vou não vou passar por aí Não Sei produzir aconteceu descritos transformei o organismo no no bloco EA medir aqui produzindo conteúdo escrito fui percebendo que precisava efetivamente das redes sociais para gerar tráfego para para os leite para trazer leitores a ao blog E aí que entra o Instagram eu já tinha que o Instagram não perfil pessoal e comecei a usá-lo para promover os conteúdos do urbanista e rapidamente percebi que publicar conteúdos que promovam um conteúdo que é texto e que está fora do urbanista rápido nem percebi que não não fiz não foi acontecer é tanto que existe olhares hoje para aquilo que é comunicação midiática no Instagram a uma operação própria para o Instagram paralela à produção prestar nos sites ou e no papel O que é efetivamente assim que a pessoa forma a funcionar eles o Instagram não serve como porta dentro o Facebook serve como porta de entrada não é para ires procurar outro conteúdo o Instagram é muito fechado é dentro dele profissional não podemos colocar um link no texto que acompanha a fotografia nós temos que encaminhar sempre a pessoa para Vai haver a Bia o link porque tantas pessoas já clicou na nossa foto ou vai ter que clicar na Bi outro alimento ainda vai ter que fazer um dos dois cliques sabes como eu sei que às vezes não é regra dos Três livros dois já estavam gastos sim dá um terceiro pelo caminho eu estou a dar um tiro no pé e então comecei a explorar outro tipo de conteúdo comecei também a ver o que faziam outras pessoas no Instagram que tinham blogs ao senhor pode caso e comecei a perceber assim eu não vou não vai correr bem porque o que acontece aqui e a contrário aquilo que eu quero fazer o que acontece aqui a uma exposição pessoal muito grande é uma exploração no mau sentido da palavra exploração um e não vá na nossa vida pessoal das nossas das nossas vitórias das nossas derrotas das nossas ansiedade dos nossos problemas Pois havia também um outro lado um bocadinho mais ativista fosse pela sustentabilidade fosse pela prática desportiva fosse pela alimentação saudável por ser ver aquilo tudo e tudo aquilo me fazia sentido porque aquele número Aquele era a minha vida o exercício físico alimentação a preocupação com a mente a preocupação com os direitos das pessoas no geral e particularmente um lado muito bonita que eu tenho e defesa da comunidade eles LG estão sempre mal LGBT aí eu comecei a perceber que envio eu vou ter que ir por algum destes caminhos para conseguir que haja algum retorno do Instagram e trazer pessoas do Instagram para o meu blog como é que isto faz a bom e depois à medida que fui descobrindo coisas fui também sendo confrontada com muitos preconceitos e boa parte do Sucesso se é que podemos dizer sucesso de Urbanismo de ver exatamente da minha luta contra o preconceito mas aquele preconceito Pequenino da roupa que tu vestes daquilo que tu pensas consegue contrato a Ecologia conceito em relação a idade olha preconceito em relação ao amor próprio e autoestima porque verdade seja dita se tu não corresponde a um determinado padrão físico Tu não podes defender a questão da autoestima porque tu se fosse a mente tens uma elevada autoestima e uma vez responde a uma pessoa que ninguém sabe qual é o problema da outra pessoa se calhar a outra pessoa tem problemas porque é magra demais depois vem não ao meu caso mas todos nós temos alguma coisa que nos incomoda O que são também Embaixadora do movimento pelo amor próprio alguma coisa nesse movimento não é que viu em mim uma uma voz para falar sobre isso não temos todos ter problemas de peso para ter uns problemas de autoestima porque eu comecei a perceber que no Instagram amo muito para fazer para além de olá olá fãs Olha esses novos sapatos há muito mais para fazer para Além disso mas Porto conseguir fazer isso o primeiro desde que ativar as pessoas para ter uma base de seguidores e só depois é que podes começar por processos por aí é muito difícil de crescer porque há sempre alguém que já tem um monte de seguidores e que está a fazer isso e por que que vou seguir aquela que acabou de aparecer já estou a seguir o outro não é que tem um ativista pela sustentabilidade a uma ativista pelos Direitos Humanos uma ativista pelo pela autoestima então eu acabei por seguir foi foi muito intuitivo não foi não foi muito hoje foi um dia em que tive o cabelo por isso seguindo as várias coisas que eu próprio estava a descobrir sobre sobre mim porque uma vez perguntaram Olha ela acha que um blog um podcast como tu fizer pode ser uma ferramenta de desenvolvimento pessoal e foi que eu caí em mim olha que realmente pode e o meu belíssimo a ferramenta de crescimento e de desenvolvimento pessoal porque eu cresci muito com as entrevistas que ficam no podcast e crescia ainda mais com o que investiga aí que estudei para escrever para o blog E isso deu-me uma capacidade de autoanálise que eu antes não tinha e deu uma capacidade de olhar para a vida que eu queria mudar efetivamente mudá-la e portanto como é que chegamos ao livro áreas camisa o livro depois de muitas experiências muitas experiências no Instagram e de atingir o objetivo o objetivo era chegar aos 10 mil seguidores eu não define prazos o prazo era ontem o mais rapidamente possível se pudesse em 3 dias 33 dias então fiz todas as experiências experimentei tudo e quando eu digo tudo é tudo que estava disponível na altura para crescer com fermento porque tem duas formas de crescer devagarinho e de forma muito sustentada ou com fermento faz um cadinho de fermento e começa a crescer rapidamente o problema do fermento é que como todos os químicos tem um lado negativo é pois as pessoas estão lá são reais mas depois não interagem muito porque foram aparace meio por acaso não tem cimento interesse no Tu fazes Eu tinha um outro problema conhecido como eu tinha um objectivamente eu ia testando várias personas digitais e portanto eu tive uma fase em que era confundida com professora de yoga tive uma outra fase em que receber mensagens a perguntar onde é que é o teu o teu restaurante porque eu adoro alimentação saudável e quer ir la comer tive eu tive outra fase que era mais real de todas que é não dá um orquishop pó e eu a não era bem Este objetivo Mas tudo bem e que foram Ainda teve uma fase prévia que mais divertida de todas que Olá sua influência Este é o produto que eu tenho três mostrar hoje e esse foi o primeiro que eu quis chega emprestar este a Box porque o meu objetivo não era não era o objetivo último era trabalhar com marcas não foi um caminho para para me assumir como influenciador não é tão somente como fornecedora como vai trabalhar com marcas e perceber como é que funcionam as agências como é que funcionam as marcas como é que tudo se processa até aparecer a fotografia no Instagram e portanto o meu Instagram os meus seguidores no Instagram sempre sofreram aquilo é um bocadinho volátil não é porque tanto parece a palavra Diogo é quando a alimentação saudável Como está a mostrar um produto ou fazer uma viagem ao fosse isso só quando eu disse olha Acabou acabou eu não eu não vou continuar a fazer isso eu vou me embora já chega eu já provei que conseguiu chegar aos 10 mil seguidores porque agora não tem o que fazer não foi aí que eu percebi que até havia ali uma comunidade que muitas pessoas que se insurgiram e disseram não nos nós queremos que tu continua os porque nós gostamos muito aquilo que tu fazes e Recebi muitas mensagens de alguns comentários nos fosse mais mensagens de bola que tu faz é diferente o que tu fazes é muito Genuíno tu fazer tu tens coisas para dizer continuar dizê-las porque só newsletter a sexta-feira não é suficiente continuam a escrever no Instagram e durante um ano e meio Agora a coisa arrastou-se por causa da academia eu passei a ser eu próprio e já a preparar o lançamento do livro porque eu queria que o lançamento do livro que eu comecei a escrever o livro o que já estava consciente de que não está mais tarde eu ia acabar com o Instagram mesmo sair a editora também discípulo não faz muito sentido publicados num livro sobre o Instagram e não ter perfil do Instagram portanto encontra uma forma de continuares pacífica de qual aplicação faz aquilo que te apetecer deixa de te preocupar com os seguidores porque ja atingi a meta que tu querias que já ultrapassados também é que tu querias portanto Deixa de estar varanda não vai falando vai publicando vai fazer as coisas que tu gostas e não é que resulta não é que o solta Ainda Melhor do que ter uma estratégia muito definido agora agora é só vou fazer coisas de yoga e tirar fotografias e procurar os cenários e resulta muito melhor fazermos aquilo que mês sai mesmo cá dentro sem grande planificação e até tenho mais na maior parte dos perfis profissionais a uma planificação é mas pela minha experiência até resulta melhor quando tu não tens a planificação E vais publicando à medida que tu vai aparecendo que vai saindo que tens de fato alguma coisa por dizer porque não é possível ter uns sempre coisas muito elaboradas para dizer e por vezes é preciso quebrar ali aquela é Preciso aparecer uma fotografia que mostra o outro lado que mostra os bastidores que mostra algo que é inesperado e isso agarra muito audiência as pessoas gostam muito de perceber que é uma pessoa que está ali do outro lado não só como elas com coisas boas coisas mas com Dias Bons dias maus e quando tu constróis esta relação com a tua com a tua comunidade e que já não é audiência onde constrói dessa relação com a tua comunidade a comunidade a volta porque se sente pelo seu textual pela sua fotografia que algo não está muito bem estão lá para te apoiarem e edda um tempo agora nós vamos podemos esquecer que estas pessoas podem estar a milhares de quilômetros de distância estas os nossos amigos que me batem à porta quando tudo está mal ou que nos dão colo quando nós mais precisamos este Cola 1 Cola virtual Isto é um apagar Diego e eu gosto muito de muitas das pessoas com Quem trocou mensagens tenho muita vontade de ir conhecer e sei que mais cedo ou mais tarde vou conhecer mas sempre ter consciência que elas têm a vida delas eu tenho a minha e que só nos cruzamos ali naquela plataforma e tio amanhã desaparecer da tua de forma eles não vão a porta da minha casa porque não sabem sequer onde eu moro eu preciso ter essa consciência e eu acho melhor para as pessoas não têm existe uma coisa chamada a estética do Instagram e estética do Instagram é não só do Marshall lá tem no cappuccino mas também uma estética associada a aparência física a neste momento um problema de saúde pública que tem a ver com a dismorfia corporal que é a tentativa de nos aproximar os fisicamente daquilo que nós projetamos através do do Instagram e aqui uma influência muito grande figuras públicas que o que nós queremos ter os lábios Seja lá qual for o formato e os olhos assim meio a amendoados quem possível para todos os seres humanos serem sim aliás em alguns casos até impossível mesmo o ser humano ser assim mas as aplicações alteram Que tal forma aumenta o olho diminuir o nariz sobressaem as maçãs do rosto e já voltamos a falar de aplicar uma make up para limpar o rosto né quer dizer tens dois níveis de aprofundamento da coisa tens as aplicações que faz o atual da fotografia carregas no botão margem que aquilo aquela bolinha que tu tinhas desapareceu as olheiras desapareceram e Tás com a Radiante não é que essa pessoa do Brasil Que férias é sempre bom e isso vale o que vale enfim todos temos dias em que precisamos além de um bolso de autoestima especialmente para tirar as olheiras em mim não me choca Porque sem precisou maquilhagem na televisão para tirar olheiras para mostrar uma borbulha é que quando sai da rua mesmo que aplique desses filtros as pessoas que conhecem outra coisa é alterar de forma do teu corpo e já existem aplicações Prince do corpo e do teu rosto e aproximam teve um boneco e há inclusivamente uma certa tendência para fazer operações cirúrgicas para conseguir esse esse tipo de corpo seja aumentando os glúteos seja retirando a Telas as costelas flutuantes para ficarmos ainda mais com a cintura mais fininha seja fazendo todo tipo de disparates porque são disparados né que mais cedo ou mais tarde pagas para fazer essa alteração e para nos aproximamos de uma imagem e de realizada por uma aplicação quer dizer é pessoas a virtual não é real e isso é muito grave a um se por um lado há uma evolução muito grande por outra um grande retrocesso intelectual porque nós temos a ficar cada vez a drogas cada vez mais limitados a cada vez menos tolerantes mais intolerantes E isto é como tu dizes é voltar atrás e voltar ao século 19 nós não nós não conseguimos lidar com a opinião do outro nós queremos apenas um espelho e um uma amplificação da nossa própria opinião aquilo que nós procuramos nas redes vezes o que fazem isso queriam hoje acho que ele Turbo bolso não é as bolhas nas quais tu entras e das quais é muito difícil de sair eu neste momento estou numa bolha de livros né que lugar em volta no Instagram é livros livros livros porque Qual é o tema que eu estou a falar és um livro a parte do Instagram eu agradeço estarão não está a perceber é que sim eu tenho interesse em livros mas eu estou promover o meu livro mesmo eu não precisa agora ficar na agulha dos livros eu posso ensinar a ver cães e gatos e comida e não vem mal ao mundo eu vou continuar então também é preciso nós a consciência de que a forma como o algoritmo trabalha É depende da nossa construção mental e nós não nos construímos essa construção não ficamos fechados eu fiz um exercício com que o Spotify que é dos melhores algoritmos é um bom algoritmo em fiz um fiz o exercício que o Spotify durante cinco anos também a cor 15 anos organismo porque a à medida que tudo iniciavam o canal foram sincera foram só quatro mas foi mais ou menos durante o tempo do urbanista criar uma playlist urbanista no Spotify e adicionando música e comprometimento me ficar sempre refém das escolhas do próprio Spotify Ou seja eu fiz a primeira seleção a partir de opções que o Spotify me deu e a partir daí eu ficava limitada Acho que ele se das novidades do Spotify as sugestões do Spotify e o radar do Spotify e a mostra conta para ouvir a música que eu queria ouvir e o que se pode dizer é que aquela playlist hoje já não é assim aliás acho que até já já apaguei eu escolhi porque depois foi introduzir outras músicas mas enquanto ela esteve numa espécie de autogestão independente das sugestões do Spotify ela estava numa bolha ela só tinha um gênero e dentro deste gênero musical vários estilos portanto é o equivalente a tua fazer uma playlist de Fado e pôsteres lá dentro vários vários tipos de Fado E durante cinco anos não houve outra coisa olha o que o que os prova que nós não desconstruirmos o próprio modo de funcionamento do organismo e não introduzimos novidades e não desafiamos o algoritmo não se desafia eu fiz um outro exercício no Pinterest não foi durante cinco anos foi grande pelo menos dois e meio de procurar no Pinterest frases inspiradoras e motivacionais Aquela aquele estilo de E aí tu Consegues acredita e põe em prática essas coisas muito muito instagramaveis também e partilhava no Instagram e portanto começou a acontecer ao fim de muito pouco tempo é que eu entrava no Pinterest e tinha imediatamente a frase que eu precisava é que eu já nem me procurava porque todos os dias assim esta frase é perfeita O que significa que os algoritmos estão muito bem pensados e conseguem prever muito bem aquilo que são no fundo as nossas necessidades qual é o problema é não ter consciência que está a acontecer e eu quando entrava quando a minha filha entrava no meu Pinterest e eu ficava um palhaço que ela procurava coisas adequadas à idade dela lá vou ter que fazer um esforço para que a gente durante as próximas semanas volta ao normal e depois voltar ao normal e continuava a dar Mais do Mesmo porque ele dava-me sempre Mais do Mesmo se nós fizemos a devido à transferência para o YouTube para o Facebook para o Twitter ou para o Instagram o que acontece que se nós não furamos a bolha propositadamente nós vamos ficar dentro de uma bolha o acesso não é conhecimento nós de fato temos muito acesso a ou acesso a muitas coisas muito diferentes entre si mas o facto de conseguirmos a ceder não significa que depois conseguimos fazer alguma coisa com a informação que Costa não é por termos acesso a internet que sabemos usar a internet e não é por sabermos usar a internet que usamos um forma coerente e que nós podemos usar a internet para fabricar uma bomba Isso não é bom para ninguém portanto No que diz respeito à informação tu tens aqui vários problemas aqui uma escala de questões que tem de ser analisadas nomeadamente o mimetismo dos media A forma como eles copiam uns aos outros e não copiam em bom portanto como copiam as más práticas e as más tendências sempre existirão sempre nós sempre tivemos sensacionalismo nós sempre tivemos a atualmente incorretas nós sempre estivemos propaganda nos mídia nós sempre tiver tudo aquilo que existe hoje já existia ninguém inventou nada simplesmente nos agora temos todos um altifalante não é e gritamos apoio dos pulmões não apenas para os desenhos da rua mas para o mundo inteiro EA disseminação é muito mais rápida e por tantos fenômenos né que porém ser coisinhas poucas não é estatal e um plano na rua a dizer que convive não existe e foi tudo invenção para me manter em casa tá ali na rua dizer aquilo só as pessoas passam daquela rua é para ouvir mas quando esta pessoa vai por uma rede que tem milhares de milhões de utilizadores Há uma grande probabilidade de os outros utilizadores fazerem Eco daquilo e amplificar a aquele aquela frase seja ela positiva ou negativa porque fala-se muito do lado negro e o aspecto negativo mas as redes também tem coisas muito boas mãe e portanto aquilo que eu vejo é que o acesso não é sinônimo de conhecimento não é porque nós temos uma banca de jornais muito muito variada porque ela não é diversificada a comunicação social não tem muita diversidade não é porque nós termos acesso a uma grande variedade de títulos que nós temos mais e melhor conhecimento até porque o melhor não é necessariamente o mais popular uma das coisas que se verifica na internet que nem sempre são os maiores aqueles que produzem melhor conteúdo e nós temos em Portugal exemplos muito interessantes de órgãos de comunicação social Independentes a fazerem verdadeiro jornalismo não é que o outro não seja verdadeiro mas é um jornalismo Assim menos sério e este jornalismo jornalismo para se perceber que é que eu tou a falar como se fala quando falo sério a jornalismo que é fato Independentes um impacto objetivo que o evento que não recorre a clickbait e para que se Perceba o que é clickbait é encontrar um título que faça com que as pessoas clica e depois aquilo afinal não é nada do que lá está ou é muito pouco de gostar e obviamente que técnicas de storytelling que sempre existiram e obviamente que nós temos ter um título que seja atrativo que chama a atenção mas não podemos ter um título que só chama a atenção e depois não corresponde ao conteúdo portanto quando isso acontece estamos a ser pouco sérios O que é sobre isso que eu estou a falar tanto entre o jornalismo sério e jornalismo sério porque quando olho quando a gente fazer aqui uma retrospectiva em relação ao jornalismo Eu sempre me lembro de das críticas ao jornalismo Eu sempre me lembro do jornalismo já estar ali a derrapar Eu sempre me lembro de muitas críticas em relação ao trabalho de muitos jornalistas eu acho que é muito injusto a generalização é o muitas vezes faço uma generalização e isso é que estou a ser injusto porque a muito bom trabalho jornalístico feita em Portugal a órgãos de comunicação social que tem as duas coisas até em programas muito bons que têm problemas muito mal esteja jornalistas muito sério e jornalistas muito pouco sérios e isto resulta Eu tento sempre ver as coisas assim um ângulo maior porque isso não é só o jornalismo isso tem a ver com a forma com o jornal é um assalariado EA partir do momento em que tu depends a daquele salário para viver a tua vida e sabes que não a mobilidade profissional e sabes que não há muitas opções do ponto de vista profissional trocado por Miúdos sais destes não vai sim diretamente para o outro e podes correr o risco de ficar desempregado tu pensas duas vezes antes de fazer o não fazer determinado tipo de coisas e as pessoas criticam a idade porque não tem coluna vertebral é muito fácil falar quando estamos bem colocados e seguros no nosso posto de trabalho ou quando conseguimos atingir um patamar profissional de reputação profissional que nos permite trabalhar de forma independente sem depender de nenhum órgão depender de uma empresa e é muito fácil falar mas Há muitas pessoas que precisam deste deste salário realmente as pessoas nós não podemos ser todos Finanças não há espaço Portugal é um país pequeno e é um país pequena vários níveis nós temos poucas pessoas né temos poucos ouvintes de rádio em temos poucos leitores temos poucos no telespectadores telespectadores sobre o que temos de mais mas depois dentro dos leitores temos ainda menos disponíveis para pagar por uma informação Então como é que nós vamos exigir que o jornalismo tenho muita qualidade isso é um ciclo né Isso é pescadinha de rabo na boca como é que nós vamos exigir que o jornalista produzia um trabalho de muita qualidade de grande aprofundamento ou se forem ler e por que que não vão ler um Valente não tem três e não tem interesse por quê Porque não tem conhecimento para perceber que que eu é interessante e não tem conhecimento porque porque a escola nos ensinou Mas aquelas ensino por quê Porque eu também não quiseram aprender porque não quiseram e em outras preocupações quais passávamos dinheiro era preciso trabalhar é todo um contexto Isto é só um exemplo a outros é todo um contexto que é preciso observar para dizer a Portugal pela baixa literacia ai tem então vamos lá perceber porque ai o jornalismo em Portugal vamos perceber porque porque isso não se explica com a jornalistas são assalariados e não querem saber estão sempre disponíveis para ascenderem é mentira isso não é verdade porque primeiro não são todos assim e segundo nem todas as pessoas têm força interior para dizer não eu não vou fazer isso sabendo que no fim do mês não tem como pagar as contas e pôr comida na mesa para os filhos nem todas as pessoas têm essa capacidade nós temos entender isso Ah e por isso muitas pessoas também estão ir pelo caminho mais fácil de exposição da sua vida privada no Instagram a pergunta falar de jornalismo vamos falar de celebre sim mas vamos falar do nome de lugares vamos falar de instalar fiz o que estas pessoas estão a fazer a vida delas mostrando tudo o que acontece na casa delas vendendo a imagem dos filhos O que é que aquelas crianças quando chegar em 18 anos vão dizer a mãe eu já ouvi uma mãe dizer que não agradecer porque foi através desta exposição que eu paguei Colégio Privado não e olha eu eu se pudesse parte a loiça toda eu não deixava nada não deixava nada direito eu começava sabes quando estão muito enervados e fazem assim numa mesa e tudo que tem saída dai eu nem sei por onde começar porque não está tudo mal tudo mal os professores sem motivação os professores que estão na carreira porque não arranjaram outro trabalho os professores que estão na carreira só fazer tempo a reforma os professores que estão a fazer formações só para terem o os créditos que devem ter poderem fazer a promoção na carreira os professores que deverão continuar é porque é muito difícil encontrar um bom professor alguém que está verdadeiramente motivado para aquilo que está a fazer a o e mesmo Esses são Digamos que preci dados sou um sistema que não está a pensado para que o professor seja muito bom naquilo que faz o que é um bom professor um bom professor não é aquele que está de editar conteúdo e que espera que os alunos aprendam esse mesmo conteúdo para depois o reproduzir em um bom professor é aquele que ensina a pensar um bom professor é aquele que consegue que de uma matéria porque a matérias difíceis e aborrecida cê e que fazem falta e que nós temos todos passar por elas mas um bom professor consegue motivar os alunos e encontrar fórmulas para que aquele conteúdo que é Mendes interessante possa ser aprender de uma forma a inovadora diferente eu acho que os professores se cansarão é de tanta burocracia se cansaram de ser maltratados se cansaram de muita coisa e foram-se acomodando é um bocadinho é um pouquinho o jornalista estão é preciso muito tempo acomoda-se vai deixando andar precisa daquilo para pagar as contas porque aqui um fala aquele outra coisa que não tem nada a ver com educação mas que eu vejo muito nos meus alunos no pós faculdade após de licenciatura em que é isto é o percurso da vida eles durante a faculdade não tenho dinheiro para mandar cantar um cego a parte dos casos e mesmo se tem dinheiro os pais também não abre os cordões à bolsa não é da ver ali um equilíbrio e perceberem como a vida é dura e tenta não sempre desejar arranjar um trabalho para poderem ter dinheiro e por que que eles querem ter dinheiro a vida boa querem ter dinheiro para viajar querem ter dinheiro para ter coisas boas e eu digo eles Tenham cuidado porque são estou sem fundo esse horários me dissesse vocês não vão por esse caminho Me sigam aquilo que os dias vosso coração que vocês querem fazer para o resto da vida não vão atrás do dinheiro porque o dinheiro é a maior prisão que existe e depois chega uma fase começam a acumular estágios depois começa arranjar os empregos dos 500 euros a recibos verdes e começou a dividir a casa com alguém porque o pai já não podem estar a financiar não é o pais ainda vão dando uma ajuda mas ele já já entram com algum dinheiro para as despesas e vou eu vou indo até que chegam a um ponto em que já tem algum conforto e vive na minha casa com alguém seja um namorado ou um conjunto de bicos mas já conseguem ter ali uma almofada financeira que os permite ter férias viajar jantar fora sem fazer uma vida um bocadinho burguesa e eles todos anseiam por essa vida burguesa quem nunca não é não estou aqui atirar pedras à ninguém também deve querer muito a seguir portuguesa mas o que ninguém explica é que é uma e nessa vida burguesa cortei duas Uma hora nós temos uma família que não suporta os custos ou se nós precisamos trabalhar para acender a esse tipo esse estilo de vida nós vamos ficar presos porque depois de temos que baixar a cabeça para continuar a querer que o estilo de vida que nós queremos mas temos influência no trabalho que não é que o que nós queremos fazer mas aquele que paga as contas essa é uma história da pessoa que seja uma lista e acaba na agênciaclick no céu porque a gente ver como é que paga e não há trabalho na área de Jornalismo e não então e como é que estás a gostar um alemão é interessante não a pergunta que estás a gostar sou eu queria mesmo é ser jornalista mas como a lugar não há trabalho e só adulto bloquear esses verdes ou estágios e agora estou na agência teto gostar bastante depois eu começo a seguir no Instagram dessa pessoa começa a ser pagos tá porque jantares fora brushes viagens e começa a acumular começa a acumular o que não começar a colar um estilo de vida começa a acumular um conjunto dívidas porque não tarda já se encantou por alguém a seguir estão a juntar os trapinhos numa casa depois vem um filho e quando não por ela tem 40 anos estão atrás de mim Outra Vez encontrar uma forma de mudar de vida inspire meses como é que eu faço para mudar de vida perdeu agora tua empresa neste trabalho não consigo sair E isto é a educação que nós temos porque nós não estamos as pessoas para fazerem aquilo que gostam nós não estamos as pessoas para pensarem por Sim nós verificamos as pessoas para seguirem os passos da geração que os percebe e que a geração que percebe faz Exatamente isto portanto são muito pessoas revolucionários os Rebeldes é que largam tudo e vão viajar e passam uma meia dúzia de anos da sua vida de país em país trabalho em trabalho não tem nada tem um saco de viagem e vão andando os Rebeldes em recidiva das até a raiz dos cabelos fazem um jornal digital no quarto e estão a perseguir o seu sonho ao fim de meia dúzia de anos a que eu começo a realmente a ter resultados os Rebeldes passam por experiências seja na comunicação social seja na comunicação estratégica seja na comunicação empresarial e depois arregaçam mangas e desenvolver o seu projeto de trabalham que se desenha uma estão a trabalhar para eles é mas este é um poucos eu sou muito poucos e isto é fruto do sistema educativo que não estimular o pensamento crítico estimular apenas a reprodução de padrões é reproduzir o que está no livro é reproduzir o padrão de vida dos outros e é contra estimulem seus por isso é que eu pegava na mesa e limpa a mesa e começava a construir de novo porque existem métodos educativos poderiam ser aplicados na escola em Portugal e teremos muito a ganhar porque verdade seja dita Nós Somos aquele povo que passa de besta a bestial estalando os dedos nós saímos daqui são os melhores profissionais saímos daqui somos líderes em incríveis Então porque que nós não conseguimos fazer isso aqui porque é que nós aqui temos tantos problemas de liderança porque é que nós temos aqui a tantos problemas de produtividade O que é que falha no nosso país por aqui isso aconteça eu acredito que a educação Quando tu vais para o outro país tu tens que se adaptar às regras desse outro país e que garante que na maior parte dos países da Europa e não está ninguém no escritório o que parece mal e ficar depois da hora não parece mal sair a hora aparece aqui tu sais a hora mas já te vais embora tipo mas isso não era das 9 às 5 horas a vocês ficam até às 7:00 eu também vou ficar para não parecer mal e as crianças estão na escola até as sete e nós vamos buscar porque parece mal sair mais cedo aí ela tem sempre sair mais cedo para buscar os filhos ela não tem que ser mais chega ao fim sem na hora tu vais ela acaba as 5 a 5 e 6 as sextas na hora que for e este encontramos mudarmos este paradigma cultural tu não falou para almoçar com a conversar porque está mal mano é tão assustador que eu até evito falar sobre o tema e esse estator por quê Porque neste momento as pessoas a eles dizem que que eu venho as nossas conversas não ouvi nada e são muito Urbano não desculpem já estou dos tempos smartphones ativados por voz nós todos temos serviços que utilizam a nossa voz mas não estão a ouvir estudos WhatsApp para enviar uma mensagem de áudio e não usas aí já está a tua voz disseminada não deve é muito eu gostar acontecer é que a um trabalho neste momento a ser desenvolvido para que a sintetização de voz seja mais próxima da voz humana e que a leitura de notícias de ser Paula Cordeiro esteve no programa e que torna que o mais fluido mais natural hora para isso acontecer tem que ser feito um estudo aprofundado das características da voz humana ouvindo milhões e humanas o vinho milhões de palavras milhões de infecções milhões de ritmos milhões de entoações isto está a ser feito ir um prazo de 3 a 5 anos vai ser possível criar Inteligência Artificial que de fato que simula o registro da voz humana tal como nós estamos ouvir agora e vai deixar de parecer um robô que está a falar consigo Isto pode ser para te ler as notícias do público como pode ser para qualquer outra coisa investimento tempo se arrepiar a pensar muitas possibilidades que líquido bem que isso é muito perigoso da mesma forma que nós estamos muitos algoritmos ai o algoritmo está igual não tem Instagram não está nada ajudar a crescer não é o algoritmo Inteligência Artificial e o meu livro fala fala sobre isso mas fala sobre isso de uma forma que as pessoas vão entender porque é que falam os problemas neste neste recurso esta viagem de cinco anos esta esta experiência teve momentos muito difíceis e eu eu vou atuar como agente infiltrado e como qualquer agente infiltrado tive um momento de não saber muito bem qual era a minha verdadeira identidade e numa plataforma tão absorvente com o Instagram que tira não estava propriamente a lidar com com traficantes de droga e a fazer de conta que também era traficante não eu estava imersa no mundo muito cor-de-rosa não é estava a vestir personagens diferentes e portanto eu tive mente estava sozinha neste por ninguém sabia o que estava a fazer e digo momentos em que comecei a rapaz não é a quem sou eu eu que ando aqui a fazer e tive outro momento ainda mais difíceis Porque como é fácil perceber pelo pelo meu discurso eu gosto de ir ao fundo da questão e eu quando pego num boneco novo eu eu abro o boneco de uma soneca pessoa como é que o boneco funciona e fala acordar Achou Achou que ele teve momentos da sua vida em que achou que podia controlar uma inteligência artificial que pensa milhões de vezes mais pressa do que ela mas poder achou que era possível eu vou compreender como é que o algoritmo do Instagram funciona e voltou a trabalhar a meu favor é tão ridículo quanto visto admito admito mas foi isso me fez perceber como é que eu abrir como funciona e perceber que o algoritmo só por sim não é suficientemente forte para para controlar tudo aquilo que acontece no Instagram a uma inteligência artificial que está a desenvolver todo um trabalho de condicionamento comportamental porque a experiência do Instagram não é uma experiência tecnológica uma experiência psicológica condicionamento comportamental que nos faz alterar o nosso comportamento alterar a forma como Nós pensamos em relação a uma série de assuntos e de por isso é que vive sintético tipo sobre isto porque é um tema Tão Profundo Tão Profundo que tem implicações tão graves na forma como nós vemos a nossa vida e trazer Isto é muito importante discutir isto e é muito importante simplificar isto para que as pessoas que não têm uma relação de grande proximidade com a tecnologia compreendam que estão a ser alvo de um processo global que altera a forma como nós vivemos EA forma como nos relacionamos e não é apenas porque as relações agora são todas online porque os meus filhos agora não querem sair para a rua e brincar com outros meninos querem ficar a jogar jogos computadores e isto acontece porque a todo um processo que está alterar a forma como estas crianças pensam quando Marcos o cargo na semana passada vai dizer que a criar um Instagram para crianças menores de 13 anos eu juro que a primeira reação foi aquela gargalhada muito e agora amigo como assim por quê Porque a crianças menores de 13 anos no Instagram mas só agora é que ele percebeu jantar aí ele não sabia É sério Marques o Carvalho não sabia que dava para alterar a data de nascimento e entrar sem qualquer outra prova que ver é uma coisa é ter um filho com 10 anos 11 anos 8 anos não interessa que quer ter um perfil do Instagram para ver o que coloca no Instagram e tu querias o perfil o teu filho né E tu controla o perfil do teu filho ele a sede quanto autoriza outra é criança Criar e dizer que nasceu em 1970 porque sabe que tem que alterar o mesmo para o e-mail o mesmo para qualquer outra aplicação interdita a menores de 13 anos e são quase todas elas porque elas não são pensadas para crianças Então agora que a criar um para crianças está enganar quem porque aprendemos nas redes ai essa rede tanto essa rede não vai ter na Inteligência Artificial e gerir o processo não vai ter algoritmo não vai ter publicidade o que vai ser um parque virtual para crianças Parabéns Marcos o cartório que somos todos acéfalos e só tu é que tens cérebro bom saber que quer dizer isto a roça o limite do razoável e os pessoas embarcarem nesta fábula que está a ser contada e sem espírito crítico é muito grave mesmo muito grave e o que é que devemos fazer eu sinceramente já não sei eu às vezes sinto um grilo falante a eu sei que se for fazer uma proposta a comunicação social de criar um conteúdo que seja rádio seja pode Caso seja seja televisão seja textos for eu sei que a comunicação social não vai dizer ela tens toda a razão as pessoas precisam ouvir falar sobre isso que eles precisam aprender sobre o tecnologia e precisão sobretudo aprender a lidar com essas novas promessas mas as pessoas não querem ouvir isso as pessoas que sabem que precisam com elas procurar emprego não precisam que todos os dias nem gostam que 2 dicas estão um pouco acho que não sabem também não quero ouvir e eu olho para a comunicação social e penso então nosso trabalho da comunicação social não é dar às pessoas aquilo que elas não sabem que precisam e pronto por isso é que me sinto lhe falando porque eu nas redes vou falando sobre isto ela tem uma estratégia de não usar a palavra Instagram dentro do próprio Instagram porque a inteligência artificial do Instagram está analisar o texto públicas para além de analisar o tipo de fotografia que tu que tu tu publicas analisa o texto e consegue determinar suas intenções comerciais e tendo intenções comerciais vai diminuir o alcance para que cientistas é tão grave quanto isto a uma integração muito grande da circulação de dados entre Facebook WhatsApp Instagram com motivos óbvios que são os da comercialização dos conteúdos e eu vou desvendar aqui uma coisa eu trabalho com várias marcas e não como influenciadora mas como gestora da comunicação digital dessas marcas e este ano decidimos nós tínhamos os grupos de trabalho com as cores diferentes marcas o WhatsApp para cada marca e queremos acabar com a comunicação através do WhatsApp porque ocorreu um ocorreu-me que pudesse haver alguma relação entre as conversas que nós estávamos a ter no WhatsApp sobre a marca sobre o conteúdo da marca o instrumento que marca a vida de fazer no Instagram ou não e o nosso alcance e não é que tinha Ah pois é nós saímos Nós deixamos de comunicar em plataformas dominados por Marcos do Carvalho deixamos de comunicar entre outras formas dominadas pelo universo Google e não é que as coisas mudaram e não é que de repente Eles foram Perdendo o Controle daquilo dízimos sobre o que estava a acontecer sonhos mais lindos alcance esta foto resultada se estavam discutimos investir Não vimos nada eu sou muito contra o investimento publicitário no Instagram e no Facebook porque é um é uma pescadinha de rabo na boca a partir do momento em que começa depois não pode esperar porque depois então aí perto do teu alcance orgânico tanto mais Walter por pouco alcance e encontrar outras estratégias de comunicação digital para estar ao nosso target e para impactar o target para o motivar de facto a compra do que estar a fazer publicidade no Instagram ou no Facebook porque efetivamente quando entramos no feed é o topo fotopo fotopo influência foto foto por influência que falta o povo foto portanto a Oi e o próprio do comigo a fazer like hein fotografias que são patrocinados Por que já aparecem tão depressa tem já estão misturadas que eu já nem já nem perto de tempo ela saber olha essa pessoa pagou Também merece o seu like e uma coisa curiosa que tem acontecido Ultimamente é a diminuição do alcance da própria publicidade portanto a quem estiver ouvir isto é tudo o que seja um serviço que não é pago tem algum objetivo por trás aquela ideia do se não pagas o produto não é necessariamente assim nós somos transformados em categorias de produtos nós nós não somos e o Paula a tua João Nós não somos o produto e provavelmente Nossa eterna Estamos na mesma categoria mas cada um de nós vai fazer parte de categorias e essas categorias é que são vendidas aos anunciantes é categoria das pessoas que têm interesse por alimentação saudável congelada a categoria das pessoas têm interesse por alimentação saudável sem sementes a categoria das pessoas têm interesse por alimentação saudável sem glúten e assim sucessivamente podemos estar em várias categorias simultânea em simultâneo e consequentemente acabando por ser vendidos a diferentes anunciantes mas não não é a Paula que é o produto é as categorias em que fala assim certa quanto menos informação nós damos a cada uma destas plataformas mais difícil é a plataforma saber o que nos dirigir a ele o segurado ser esta música Não me interessa não é mas isso é um carro trabalho ninguém faz isso 

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>