Joana Ascensão

Comprimido. subscreve ✅ http://bit.ly/ONDEQUANDOCOMO

Nasci em Coimbra no ano em que foi clonada a Ovelha Dolly. Por lá estudei e vivi duas décadas até que rumei à capital e, depois, à invicta para cumprir o desejo de ser jornalista. Fiz parte da equipa fundadora de dois projetos de vídeo para o digital: o Smack, do Grupo Impresa, e o V Digital, do grupo Global Media. A porta abriu-se depois no Observador, onde me permitem usar a voz e a escrita para contar estórias. Nutro uma paixão pelo multimédia enquanto megafone para o jornalismo capaz de efetivar mudanças.

pois por acaso nunca tinha pensado nisso nesses termos não é que é ando aqui não digo que seja daqui a cinco anos acho que não é de forma nenhuma mas daqui a muitos anos quando eu for tiver parcelar os meus 60 c neves está tudo muito magoadinha não temos a 900 e hologramas e viajamos até a lua de férias e e eu acho que a visão só vai assinar na next pode ser o futuro longínquo é televisão só existir neps e não ser uma coisa continua a ser uma coisa uma plataforma para disponibilizar conteúdos que são programas da mesma por exemplo formato podcast como já está a acontecer agora com séries por exemplo que são seres de canais televisivos mas que só existem na internet se isso chega um leve e pesado em 1231 então o contrário em 321 e proíbe e é assim com soma fora com a forma de consumo tudo que a informação e comunicação mudou estávamos lá está num processo de mudança drástica e passava a minha geração é que está a viver isso porque nós acho que é que isto quer dizer não é a única que estava em ver uma está a fazer com que se transforma e eu sei lá não é da mesma forma como agora são produzidos eram novas notificações dos meses por isso também pode cada vez mudar uma velocidade maior ea que o que vai acontecer com 60 de nós nem sequer imaginamos que pode acontecer isso os hologramas daquele s não é fácil mas eu acho que é o mais provável é que seja isso que a internet ou no futuro outra coisa qualquer que ainda nem sequer foi inventada sejus seja o futuro do visual não tem que deixar de existir enquanto formato mas deixa de existir enquanto plataforma e enquanto forma de consumo deixa de ser aquela onde minha idade de agora o programa depois é outro nome venha publicidade e tal e tal e é pela ordem que nós queremos e disponibiliza disponibilizas o conteúdo e as pessoas conforme consomem de forma quer é que é por aí que estamos a caminhar não acho muito porque isso acho que essa idéia de que o jovem não se interessam por política não é necessariamente verdade acho que já passamos felizmente os tempos das grandes revoluções isso as grandes revoluções das grandes voltas posicionado leva muita gente nas ruas e eram novos e velhos e e todos e agora nós estamos numa fase mais estável e se calhar por ter um estudo como adquirido é que não tanta gente se interessa mas isso não quer dizer que não haja sempre uma uma porcentagem gente se interessa os machos mais tarde mas se chega de avião uma fase da vida em que gosta de perceber afinal quem direita e esquerda e os partidos chão de de centro-esquerda e centro-direita extrema-esquerda e extrema-direita afinal o que é isso as extremas existam existe e gosta de perceber com qual deus dos portugueses ou de outros é que a próxima marketing cujo seus ideais se aproximam mais e eu acho que mais uma vez essa faceta da internet que é mais uma vez e nunca democratização que tv como por exemplo eu sou uma figura pública eu já não vou precisar assunto exemplo uma cantora eu já não vou precisar vir para jornais e as televisões para anunciar tem um novo álbum no limite eu posso não ir pro lado nenhum e anunciar nas minhas páginas depois até ter mais sucesso do que for pré pré pré pré sal vão de comunicação social dizer isso antigamente estava tudo dependendo dos órgãos de comunicação social não subir navas não fosse noticiado hoje em dia não é notícia isso é importante que se diferencie não é notícia mas é informação forma geral já circula nas redes sociais como nós quisermos hajam uso do chá já os os cantores os atores os políticos os grupos parlamentares já comunicam diretamente para seu público o que também não quer dizer que também não precisa é às vezes os órgãos de comunicação social para ganhar alguma credibilidade e que praticaram ao aqueles que não são o seu público direto seja para conseguir mais público mas conseguem fazê lo diretamente e agora pergunto me se é bom ou mau não sai porque estou dos dois lotes todo lado consumidores do lado do do produtor informação e compro toda informação se calhar gostaria de experimentar viver agora se calhar nos anos 90 quando tem muito mais poder nas mãos mas acho que no fundo é bom acho que é algo a dar uma explicação tem que se sujeitar a 29 nos o marcelo entrou me foram final nos aproximar de no tempo que vivemos da américa atingiu o mundo todo eo marcelo com a só tem só quatro anos e atinge a nós mas algo algo os aproxima e é exatamente o fato de já serem muito conhecidos antes candidatarem ao cargo seja e aí há sempre um nome de um certo populismo que as pessoas vão por aquilo que já começa a organizar o trabalho de conhecer o as idéias eo eo que defendem os outros candidatos é óbvio todas as mensagens do twitter em portugal que não fazem não leu o filho dele trás e por isso é que há países europeus que obrigam que as pessoas respondam o questionário sobre com perguntas aleatórias sobre o os anos em vinhais os programas eleitorais dos vários candidatos antes de votar e os que não sabem não rodam o software pra mim é incrível não exatamente por se perceber essa incrível mas porto tem outro lado que esta tirar o direito do voto parece antidemocrático na pois o voto contra quando surgiu foi uma prova mães primeiro na história da democracia um foi ensinar foi um ato muito gato que não todos temos o mesmo direito de saber o que queremos se o problema é quando não sabemos vivo temos porque nos apetece quando isso só influencia a nossa vida é uma coisa com a influenciar a vida de uma tirada é outra isso também e aí pensar num novo também não foi ensinado até possível nem votar ou votar em branco que isso não influencia em nada influencia cento e esse tipo de pensamento a mim pra cá ficar lento porque influencia sempre sempre e eu acho que se um caminho mais curiosas

curiosas sabemos porque cristo lazio defende isto vamos perceber será que é vê lá ou será que o partido deu que já tem uma tradição para defender isto isso cogita cosmin com os meus ideais ou não funcionam anunciou não nós tem a ver com os enviados de ou tem a ver com os ideais de caen e isso até prato tinta iraj para conseguir definir enquanto pessoa numa certa ansiedade é importante o sueco foi inovador em portugal porque não só para o faz vivo e só viria porque se assistir também não é porque é um órgão totalmente online porque isso também já existia nada muito observador um grande final mas porque eu tenho um tipo de vídeo muito específico que já sim formatos internacionais como a j mais da al jazira o now vez que é um projeto norte americano em campo fases é mais o vídeo na mesma tanto as imagens em movimento e em vez de ter uma voz do jornalista lei por paixão chutem está está em cima do vídeo porque se sabe que nessas na internet de aula e muito mais ainda nas redes sociais a maioria das pessoas consome vídeo sem som op – quando começar consumindo começa por norma por autoplay e sem som e portanto as pessoas têm que o homem imediatamente serem captadas por para que o assunto do vídeo e é a primeira opção já que o clique que o vídeo quer transmitir neste caso uma frase ou duas não é que tem que estar em um texto em si nesse sentido assume que foi inovador em portugal agora já muitos órgãos comunicação a fazer vídeos do gênero e era um menino era algo que a acontecer o suíço michael não porque eu estava fazendo você foi lá fora e aqui nós tivemos aí nós passávamos anos as coisas vêm capturá lo já foi ao fórum e inova não só nisso como uma particularidade não é propriamente uma nova alma no fato do targa de ser muito específico queremos atingir possuem a posição mais nova ali entre os 15 e os 30 sempre foi nosso objetivo e isso faço não só do tipo de um vídeo porque se calhar vídeo pode ser feito pode ganhar não é fo pode ser feito para uma população de forma geral mas na abordagem da forma como dirige as pessoas precisam tratar as pessoas porto que não é normal num órgão de comunicação e nas temáticas nas temáticas escolhidas eu não conto visor à frente em directo e afonso vai muito a visão que vai indireta josé o noticiário ou às vezes nem indireto mas eu não vejo muito jogos palma shaikh o futebol é um grande fenômeno ainda da provisão em greve é ser um grande nome na televisão em directo porque porque é que os tanques mesmo ver em directo não faz sentido tentar resolver o jogo futebol morre pois eu ter acontecido mas como eu não sou muito consumidora do futebol qualquer desporto assim de forma muito específica para trás muitas vezes mas mais do que isso ultimamente que eu faço é ver televisão na mesma mexer no televisor ver na internet precisou o site do canal televisão se a um programa que eu quero ver ele costuma acompanhar quando acontece quando tem tempo só sei que eu sai em x dia da semana e levou ao site e clique no programa daquele dia quando tenho tempo envolver os agentes evento visando a mesma mas é ver noutro plataforma o mesmo formato em outra plataforma é de que o foco mas também já admirava e assim acho que vá juá algo mais não visam do que a maioria deles curiosamente está a criar postar por ser jornalista não sei que a parte informativa entregam às vezes só para ter companhia posso ligar assim com dicesar tem formação em r 3.100 mas ver ver sim eu acho que a maioria das pessoas dá com os quais me envolva mirada minha geração veio muito pouco hoje em dia o pessoal 16 ver filmes tudo no computador ver vídeos curtos no telemóvel eventualmente ver televisão mas não enfrenta o visor gosta minha irmã por exemplo a mesma geração z tem 16 ante a minha irmã não só não vê televisão como ano não não não passa tempo no facebook essa questão do facebook e das gerações eu vejo muito problema afirma não não não vai ao facebook os amigos da noiva o facebook estão completamente em outras redes sociais facebook também já está em serviço e do visão do banco nós sabemos o que temos vindo a observar é que ainda o grosso da proporção que eu ia meditava e as pessoas mais idosas ainda vem bastante visão a provisão em dengue em como a rádio era aqui há uns tempos que era uma companhia para muita gente está em casa ou assim agora é nossa geração jammil e neons geração z é e até tv cada vez menos a minha vez menos do que dos meus pais e da minha irmã de ver menos do que minha e pela lógica das coisas quando você não gera o sinal quando eu tiver os meus trinta so o corinthians não podem estar à espera que o mundo os meus hábitos não é assim que funciona os meus olhos a partir de mães ou simularem a partida não é para nunca trouxeram hanói então nesse sentido a televisão como a conhecemos dos grandes anos 90 pode deixar o estilo que não quer dizer automaticamente à televisão enquanto formata deste tipo que eu criasse é que continua instituto visão na internet ‘hoje em dia’ viris tento quinas parte do programa serão disponibilizados no youtube é tudo visando a mesma está em outra plataforma sim acho que não fala com a mãe de sentidos em dia temos termos tantos canais quer dizer não mesmo que nesse sentido e tal canais surgiram na altura ainda se via mais televisão do que agora e já eram mais que minha viagem que o túnel estava em sala nem sequer em estava pronto fez se um homem 1970 coisa na verdade é mais olhos o fogo de vista e hoje em dia sim acho que sim mas antes se dada a rapidez da internet quem não quiser um filme muito jovens deste país é quase que um bem estar ea nossa vila hoje em dia a mais para quem trabalha num com a internet todos os dias

a televisão e o carro e os canais cada vez menos e sé é necessário importante das nossas vidas a ew do mundo lembra desfilará em câmeras de televisão nos cursos e e assim a alguém que quer fazer na televisão é bastante fiável até mais do que as sondagens para pra para as eleições e este estudo porque realmente não eu nunca percebi muito bem como é que eu fui eu sei como funciona mas nunca percebi como é que é tão am verdade não é o que é certo é que o mesmo foi também de estar ao lado de dodô visão as novas meninas quando fora e uma professora um dos meus professores provisão era naquela altura o diretor de informação da rtp a primeira coisa que eu fazia quando chegava a aula era ver as audiências do domingo à noite nos canais todos e comparar olha aqui deve ter acontecido é que alguma coisa porque baixarmos e e podemos para tv eo prêmio para se tornar uma estação pública nunca consegue pôr fim à violência na nossa já há ainda nada dentro das provisões dentro das direcções dentro dos dez programas de de programas de entretenimento e informação geral na televisão há um dado muito importante esta questão da das audiências e e e que consegue se ver a um minuto por usar essas empresas são mulheres e homens faixa etária capacidade econômica tudo que está discriminado para se perceber exatamente tudo e agora na internet é um caminho assim também temos duas redes sociais que nos dão ao surdo quantas pessoas temos são do sexo feminino e masculino e dados é e o gráfico é mesmo o segundo irá pra ver exatamente porque precisa ser a altura de um vídeo meu eu tiveram uma baixa enorme de pessoas passando a hungria que é o segundo iniciais em que a norma uma baixa porque tem a ver com os croatas pessoas vêm três segundos e continuou scroll e que o pessoal que os primeiros cursos assim uma faixa enorme e pode chover outra baixa certa altura tenho que ver o que é que o vevo não é o que possui próximos dizem estar em uma tática que estava grande mas estavam com o cachorro pra ler tudo ou uma imagem qualquer que não tinha nada a ver e e e não fazia sentido e sua gestão faz sentido nenhum não vou ver o vídeo até o fim e nós temos isso no mundo os brics é óbvio que apesar de termos muita gente vê no início temos que perceber quantos é que vê viram o vídeo até o fim e acho que esses é que são as mais importantes para nós já são aquelas que se disseram que tomaram a informação como um todo e portanto ficaram a saber que nós queremos transmitir tanto num como noutro tanto nas audiências na televisão como agora na internet acho que as coisas são fidedignas e são um chatas para quem está a produzir por kan sinceramente a desenhar alguma vontade de aumentar o que seria fazer jornalismo nos anos 90 em que acabavam trabalho eu não porque cansou dessa geração que em vigilâncias acabavam um trabalho eo trabalho terminava ali e ninguém queria saber nem havia forma de saber cumprimento o que é que até onde é que eu trabalho de russas pessoas gostaram ou não se comportavam não com o que estava escrito se via rádio jornal o trabalho com bola e agora nosso trabalho não acaba nunca trabalhou público uma coisa e então uma semana sem feedback às vezes vou mal e se eu tiver essas pessoas a dizer que está incrível não quer dizer que seja incrível e se tiverem essas pessoas ou enviar o trabalho também não quer dizer que seja mal e isso é uma coisa que tem que estar sempre no nosso coxim caso contrário nós damos um cabelo com esta opção do clique e com esse ‘feedback’ todo o do ano agora se é mais democrático é porque eu enquanto leitora ouvir o espectador é também gosto por ver vara marcha pra falar se eu perceber se eu for uma superintendentes e nem perceber que o jornalista não precisa nada tava confundidos com bactérias e agora vou te explicar que não ensina me mandava sua macaca próprio jogador ou obrigá-los cozzi olha vocês santo sejus problemas sabe nada pra ninguém resolvia e agora está tudo fechado eo a legitimidade do órgão de comunicação pode ser posta em causa por causa disto esteve em coisas boas e coisas más se muitas profissões ou escura televisão estão em risco aliás por que não é ao desconhecido as pessoas que instituições hoje em dia alguns canais já estão a apostar em câmeras robóticas controlados por uma pessoa na região estilo que você tiver um estúdio virtual estúdio normal com três câmeras três pessoas que seriam de câmera – só seriam minadas a partida dali são precisas nas mesmas pessoas para controlar a região e curiosamente arrendados tentava falar com um chefe um chef dede da parte técnica de uma de uma inflação específico como estava a dizer que há dez anos atrás teve a ideia que não foi aprovada vim fazer um estúdio em que as próprias câmeras fossem controladas pela pessoa que está a entrevistar que não é nada novo já existe há muito tempo mas sabe se que o que é o futuro portante sim em quem o senhor vai pensar mas isso é como tudo por exemplo um num futuro próximo uma das profissões mais afetadas com redução das coisas vai ser tudo o que for a motorista seja de caminhos seja de autocarro seja de vilões é os as formas do como são essas como é que esses sim os veículos todos vão ser comandado jk – já com bosco escreventes e todas as profissões as profissões estão em risco de terem um umas mais cheia outros mais tarde mas eu costumo dizer que isto é aquelas que vão fazer oficinas artísticas porque o google consegue fazer a banho de sangue e sim tenho um amigo que jornalista é de the press e ainda querem no outro eu faço muito a norma zé mané teste não é e escreve praticamente eu costumo dizer que sua a bíblia jornal e uma pessoa engraçada eu e muita gente não é muita gente que está começando agora faço uma button coisas que antigamente não não fazia porque estava concentrado em uma função até argumentos que ser produtor jornalista editor de imagem e câmara vai fazer uma coisa quer tirar convidada todas as coisas eu sou e faço muitas coisas mas não sou tão boa em cada uma de hoje não sai ser velado ou não às vezes o fato de estar uma pessoa fazer tanta coisa faz com que alguma coisa falha é velado se calhar porque não foi atenção o sei que fosse maior não faz isso aí agora que o que eu sei é uma realidade nós fazemos vai lutar contra isso hoje em dia eu entrei para o mercado de trabalho isso é que era uma vantagem sobre muitas coisas se não soubesse fazer tantas coisas e o provavelmente não teria sido contratada prestam funções que tive costa acredita que teorias e pronto mas mas é é um novo clipe estou fazer muitas coisas e nem sempre tinha as equipas vão sendo reduzidas problema promoonline não sabe dizer se será a ser mal tem uma opinião muito entre mello e não sai porque não vive a trabalhar assim com muitas pessoas para saber se a qualidade era sobre ou não se o ritmo do trabalho superior ou não se não vá mais ou não isso aí é que esta é uma realidade e agora qual o tempo de cuidar é essa questão da publicidade é uma é uma questão dramática está a assistir lado eu própria casa uma tomada que eu gostaria de estar mais a fundo porque toda a gente tem certeza que o online eventualmente as redes sociais são o futuro e ninguém duvida disso a questão é como é que paga am em esta informação e eu falo de informação porque é uma entra lá porque o que se sabe é que eu vou ensinar na internet é muito mais barata antigamente nos dourados anos 90 do jornalismo a um bloco publicitária na televisão em prime time do criciúma contra capa do o de um grande jornal era caríssima hoje em dia é ainda a preços bastante à vontade na internet a onda maioria das pessoas vai consumir informação não sei se é sim ou não mas onde se espera que no futuro a maioria das pessoas vai consumir informação é os preços muito mais baixos e é o clube está aí é doutrina do click é quanto mais chato a peça deve mais mas nem publicidade ganha o dinheiro é muito ao click é ter um ano se numa notícia

sentimos por clique em ver o que vai sair é se calhar falta de qualidade em algumas marcas que acaba por ser hoje em dia porque usavam túnicas opção de prato pra ganhar melhor alguma forma comentou muita coisa e ainda nada de você muito resultado em armamento escondido prêmio em tutinha grande parte das coisas abertas mancha é um conteúdo específico tinha que pagar para obter ou por exemplo a questão das assinaturas há alguma explicação que ainda tem ganho alguma em assinaturas o que é bom mas para a multidão assunto também porque porque entendem desde o início quando surgiu ainda antes desta desta avalanche dos dois órgãos de comunicação social que infelizmente enfim se inteiraram que tinham que está na internet a internet era muito burocrática já era vista como a uma plataforma livre de informação livre onde eu e pesquisar uma coisa tudo mas pesquisar não estavas onde se concentrava não só eu eu se tivesse uma uma biblioteca ou lava da minha casa ou seja antigamente tinha muito baixos e love pesquisar coisas do que tu que tinha uma biblioteca dois quilômetros ea internet vaio fazer com que nós os dois quaisquer que fossem as nossas condições tivessem o mesmo acesso desde que obviamente tínhamos internet há muitas bandas do mundo que não tem mas estamos a falar que não é do mundo ocidental não é e portanto ainda é ter sempre foi gratuita e agora obrigar as pessoas a pagar por alguma coisa difícil este modelo de negócio vai ter que ser alterado vai a vai ter que ser repensado e vi uma coisa quem o descobriu e vai terminar até o fim do vídeo estava manter essa pessoa mas não parece mas não salva é uma coisa que tem que se discutir anos o filme não se salva o que é certo é que os órgãos comunicação estão a sofrer com isso com grandes quedas hoje a agra muitos jornais em portugal que ganhou uma grande porcentagem do do dinheiro ao final do mês que tem por pagar ordenados ainda vai da venda do papel e joelhos do papel do cheiro muito tantos anos nesta é um problema é crônico e difícil de resolver mas vamos ter claro volta a isto

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>